O que o Sr. Spock pode nos ensinar em plena pandemia?

O que será que o Sr. Spock, personagem consagrado no final da década de 60, tem a nos ensinar em pleno 2020? 

Star Trek iniciou sua jornada nos anos 60 e consagrou Leonard Nimoy como ator ao interpretar o Sr. Spock. Vindo do Planeta Vulcano, filho do embaixador do Planeta com uma terráquea, Spock é um ser híbrido: mistura de alienígena com humano. Isso torna o personagem ímpar, com características mescladas e aparentemente confusas. 

Um toque de personalidade

Durante as gravações da série, o ator sentiu falta de uma saudação feita pelo personagem. Foi então que resgatou em sua memória uma saudação vista, quando criança, em uma sinagoga judaica que frequentava. A saudação formava a letra hebraica Shin e tinha como intenção, abençoar as pessoas que estavam ali. 

A Saudação Vulcana foi incorporada na série de forma marcante, atrelada à frase “Vida Longa e próspera”. O povo vulcano não tinha o hábito de tocar nas pessoas devido uma sensibilidade energética presente nas pontas dos dedos, então faziam a saudação.  

Além disso, a saudação era muito usada em momentos de viagens e/ou despedidas por tempo indeterminado. 

Qual a relação com o que estamos vivendo?

Nós, brasileiros, temos o hábito de nos abraçarmos e beijarmos sempre. É uma forma de demonstração de carinho, mas que pode causar estranhamento em algumas pessoas. 

Em meio a pandemia, estamos aprendendo outras formas de demonstrar afeto. Tem sido dispensável tocar no outro, além disso, as medidas de higiene foram redobradas. 

Estamos aprendendo a ser mais racionais, como o Sr Spock.  

Afinal, não sabemos por quanto tempo estaremos embarcados nessa jornada. 🖖🏼 

 Ver mais notícias

Fale Conosco

Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de cookies. Ao continuar no site, consideramos que você está de acordo com nossa Política de privacidade.

Aceitar